Corpo de Bombeiros do RN tem pouco mais da metade do efetivo previsto.

O coronel Luiz Monteiro retoma o comando do Corpo de Bombeiros Militar a partir desta sexta-feira, 4. Ele já havia estado na posição anteriormente. Saiu em maio de 2018 após, de acordo com as palavras dele, ter se negado a atender um pedido do ex-governador Robinson Faria (PSD) para liberar uma festa irregular.

Coronel Monteiro volta a liderar uma tropa com déficit de, aproximadamente, 500 bombeiros. É que o previsto para o Estado é de 1.605 militares, mas o que se tem é 566. Os materiais de trabalho também são escassos, existem poucas viaturas, o que leva a corporação a priorizar ocorrências de acordo com a gravidade.

O Portal No Ar marcou entrevista com o comandante nesta sexta-feira, mas ele não conseguiu chegar a tempo na sede do Comando Geral. O agora ex-comandante e atual subcomandante coronel Josenildo Acioli atendeu a reportagem e revelou que a corporação já tem estudos para recomposição da tropa.

“Existem alguns projetos de recomposição paulatina do nosso efetivo. E esse também é um projeto da governadora Fátima Bezerra (PT). No momento oportuno, esse projeto será posto em prática”, explicou o subcomandante.

Antes de passar pouco mais de um semestre como comandante geral, o coronel Acioli já foi o subcomandante de Luiz Monteiro. Ele diz estar feliz em voltar a trabalhar com o companheiro. “O retorno do coronel Monteiro é altamente positivo e esperamos que ele faça um grande trabalho”, destacou.

Além do déficit no efetivo, o Corpo de Bombeiros trabalha com poucos equipamentos. É esperado que esse cenário mude com a nova taxa no Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, o IPVA, que é destinada à corporação. “Isso é um investimento para a corporação salvar vidas no Rio Grande do Norte. Queremos contar com a compreensão e a parceria da sociedade”, enfatizou.

Por Ayrton Freire/Portal no AR

Nenhum comentário