Reestruturação de queijeiras avança no interior do RN

Reestruturação de queijeiras avança no interior do RN

Há mais de 20 anos, a rotina de produção de queijos e manteiga de Francisco Macedo – mais conhecido como Chico de Manoel de Pedro – começa ao raiar do dia. Os produtos são uma forma de agregar valor ao leite produzido em sua vacaria e de gerar ocupação e renda para a família, na zona rural de Santana do Seridó. Diante do crescimento da produção – que já chegou a 300kg de queijo manteiga e coalho entregues a comerciantes do Seridó Potiguar e da Paraíba –, ele fez algumas melhorias na estrutura, com recursos próprios. Mas a reforma ainda estava distante do ideal.

Além de a queijeira continuar fora dos padrões sanitários, o que impede a livre comercialização da produção, os baixos preços que precisam praticar e a atuação dos atravessadores dificultam o crescimento dos empreendedores. Mas essa realidade vai mudar. Chico de Manoel é um dos 39 produtores beneficiados com investimentos do Governo do Estado para estruturar as queijeiras, equipá-las e, assim, assegurar a tão sonhada certificação sanitária e vender diretamente ao consumidor em qualquer mercado.

Com os investimentos do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do RN – Governo Cidadão – e da Secretaria de Agricultura e Pesca do RN (SAPE), com recursos do empréstimo do Banco Mundial, a queijeira de Chico, vinculada à Cooperativa Agropecuária do Seridó (Capesa), no município de Parelhas, está recebendo R$ 470 mil para investir na construção da estrutura física e na aquisição de equipamentos.

“A gente espera que a produção dobre, até porque teremos a capacidade para produzir dois mil litros diários, e teremos a certificação sanitária. Além disso, meu filho Fagner fará os cursos de qualificação em lacticínios – oferecidos a partir de parceria com o IFRN de Currais Novos –, estando, então, capacitado para produzir outros produtos como queijo mozarela e bebidas lácteas. É um sonho se tornando realidade”, comemorou o produtor, destacando que a construção está 50% concluída e deve ser finalizada em pouco mais de um mês.

Edital

Os investimentos nas 39 queijeiras, vinculadas à Cooperativa Agropecuária do Seridó (Capesa) e à Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares do Seridó (Coafs), somam R$ 23 milhões e são oriundos do Edital de Apoio à Cadeia Produtiva do Leite e Derivados da Agricultura Familiar.

O objetivo é a regularização sanitária das queijeiras por meio da adequação da infraestrutura, aquisição de maquinário e equipamentos, melhoria na logística do transporte, comercialização e capacitação dos produtores.

A regularização é importante para que as cooperativas recebam o selo das instituições sanitárias – Serviço de Inspeção Municipal; Instituto de Defesa e Inspeção Sanitária (IDIARN), equiparado ao selo federal, o que garante a livre comercialização em todo o Brasil; e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Postar um comentário

0 Comentários