Maior hospital público do RN tem quase 100 pacientes em macas nos corredores, denuncia Sindsaúde

Maior hospital público do RN tem quase 100 pacientes em macas nos corredores, denuncia Sindsaúde

Quase 100 pacientes estão internados em macas espalhadas pelos corredores do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal. A denúncia foi feita na manhã desta terça-feira (4) pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde RN).

Ainda de acordo com o sindicato, a maior unidade pública de saúde do estado, atualmente, conta apenas 8 técnicos de enfermagem – o que dá uma média de apenas 1 técnico para cada 12 pacientes.

“Segundo os servidores, há pacientes com mais de 80 anos de idade em macas aguardando um leito no hospital e outros aguardando vagas de UTI, através de ação judicial. Infelizmente, não há leitos de UTI suficientes no estado. Cerca de 110 leitos espalhados pelo RN estão aguardando para serem reabertos, mesmo sendo judicializado há anos”, afirma o Sindsaúde.

Hospital fechado

Ainda de acordo com o Sindsaúde, o hospital de Canguaretama foi fechado no ano passado e o Rui Pereira sofre ameaça de fechamento. “Dia após dia, o caos vai se espalhando na saúde pública. A saúde continua precária. O governo de Fátima Bezerra (PT) está dando continuidade à política de sucateamento do SUS e dos demais serviços públicos, aplicada pelos governos anteriores. Ao invés de abrir mais leitos, o governo está fechando os serviços. A situação está insuportável, carga de trabalho excessiva e essa é a realidade não só do Walfredo Gurgel, mas de todos os hospitais”, declarou Carlos Alexandre, servidor do Walfredo Gurgel e diretor do Sindsaúde.

Corredômetro

Em 2015, o Sindsaúde RN criou o corredômetro nos quatro maiores hospitais do estado: Walfredo Gurgel, Santa Catarina, Deoclécio Marques e Tarcísio Maia. A contagem funcionava uma vez por semana pelos próprios servidores. A intenção era divulgar o número de pacientes nos corredores dos hospitais públicos. O corredômetro foi suspenso em 2018, mas a ideia é retomá-lo agora em 2020.

Agora RN

Postar um comentário

0 Comentários