Motoristas de ônibus de Natal entram em greve por tempo indeterminado

Motoristas de ônibus de Natal entram em greve por tempo indeterminado

Os motoristas dos ônibus urbanos de Natal entraram em greve por tempo indeterminado a partir desta segunda-feira (22), segundo representantes do Sindicato dos Trabalhadores e Transportadores Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro). A categoria reivindica manutenção da profissão de cobrador nos veículos e o pagamento de benefícios.

Segundo o Sintro, apenas 30% da frota - que já estava reduzida por causa da pandemia de Covid-19 - está circulando na capital potiguar. De acordo com Robério Pinto, diretor do sindicato, os profissionais deixaram de receber vale-alimentação e tiveram o plano de saúde cortados pelas empresas rodoviárias.

"O próprio usuário precisa entender que ele está pagando isso. O plano de saúde e o vale alimentação está na tarifa e eles não querem pagar. Nesse momento de pandemia as coisas estão mais difíceis e não temos condições de ficar sem plano de saúde", ressaltou Robério Pinto.

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (Seturn) repudiou a paralisação organizada pelo Sintro e pediu para que os motoristas circulem com o percentual estabelecido pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) para o período de pandemia de 43%. Confira trecho do pronunciamento do Seturn:

"Rogamos ao SINTRO a compreensão da quadra histórica em que vivemos para que retroceda na realização da greve ou, pelo menos, cumpra sua função social e na próxima segunda-feira (22) permita a circulação da quantidade de veículos indicada pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU).

O momento é de defender vidas e os empregos. O Sistema de Transportes de Natal encontra-se em colapso econômico, as empresas de ônibus deverão entrar em recuperação judicial. Após 3 meses da pandemia esgotaram suas reservas e realizam com atrasos o pagamento dos principais insumos, como salários e combustível, além estarem inadimplentes com todos os tributos e grande parte dos fornecedores."

A STTU também se manifestou sobre a greve endossou o pedido do Seturn para que 43% da frota circule na cidade, ou seja, 254 veículos. Na manhã desta segunda-feira (22), apenas 12 ônibus da empresa Cidade do Natal saíram das garagens. A Cidade do Natal mantém cobradores nos ônibus. Veja pronunciamento da STTU:

"A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) determinou ao Sindicado das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (SETURN) que viabilize a circulação de 43% da frota de ônibus da capital, ou seja, 254 veículos durante a greve dos trabalhadores do sistema prevista para a próxima segunda-feira (22/06).

A medida visa evitar a superlotação dos veículos da frota durante este período de pandemia da COVID-19, tendo em vista que já foi verificado que 30% da frota circulando – como determina a Lei de Greve – é insuficiente para atender as necessidades da população. A medida visa evitar aglomeração, não tornando o transporte público um vetor de disseminação do vírus e permitindo um deslocamento mais seguro no que se refere as medidas de distanciamento social tanto para os passageiros como para os operadores do sistema.

A STTU já vinha aumentando a frota operante de acordo com dados levantados pela equipe de fiscalização e recomendada, a época, pelo Promotoria de Defesa do Consumidor para minimizar aglomerações no transporte público."

G1 RN

Postar um comentário

0 Comentários